• Amigos da Zoonose

Filhotes - Orientações

Você adotou um filhote?

Parabéns! Os filhotes são muito lindos e fofos. É uma experiência única vivenciar o crescimento deles. E para ajudar no crescimento saudável (tanto físico como mental) vou passar algumas informações importantes sobre os filhotes.


Pela Zoonoses não ser um abrigo, os animais que lá estão precisam de uma atenção especial, já que o estado de saúde dos filhotes é sempre delicado.


Os filhotes são nossa prioridade numero 1, procuramos doa-los o mais rápido possível para evitar que eles adoeçam.


Aqui vamos falar sobre:


  • Vermífugo

  • Probiótico (Importante)

  • Ração

  • Vacinas e Hemograma

  • Leishmaniose nos cães (importante)

  • Por que os filhotes choram?

  • Choro quando estão sozinhos e a educação do filhote

  • Como evitar o comportamento ruim dos cães

  • Latidos quando estão sozinhos

  • Brincando de morder excessivamente

  • Banho e o Mau Cheiro

  • Fazer xixi no jornal ou Caixa de areia

  • Ensinando o nome


Vermífugo

Os filhotes que chegam na zoonoses são oriundos da rua ou de uma situação de risco. E sempre chegam com vermes que pegaram da mãe ou de um ambiente contaminado por fezes de outros animais. Por isso precisam ser vermifugados, até porque, muitos não sobrevivem sem o vermífugo.


Como, na maioria das vezes, os filhotes chegam na zoonoses e não sabemos a sua origem, precisamos seguir um protocolo de segurança para acabar com a infestação.


O ideal é vermifugar a fêmea (mãe) alguns dias antes de parir e 15 dias após o parto, sendo necessário vermifugar a mãe e os filhotes, além dos outros animais que compartilham o recinto. Depois disso, é preciso repetir o vermífugo 21 dias após a primeira dose.


O verme se prende à parede intestinal para se alimentar e se reproduzir. Os ovos e as larvas são liberadas através das fezes e dessa maneira contamina o ambiente e o animal. O ciclo dos parasitas dura entre 15 e 20 dias. Então, damos o vermífugo no marco 0 e depois de 21 dias repetimos para matar esses novos vermes que nasceram (antes de dar tempo de botarem novos ovos) evitando a reinfestação.


A gastroenterite (inflamação do estômago e intestino) é um dos principais sinais de que um animal está com verme. Diarreia e vômito incessantes causam desidratação, hipoglicemia, fraqueza, perda de apetite, coma e morte. Outra consequência da verminose severa é a anemia que deve ser devidamente tratada ou pode levar o animal a morte.


Quando o filhote é muito novo e tem uma infestação grave por esses parasitas e nunca foi vermifugado é preciso ficar atento, pois pode acontecer dos vermes morrerem e obstruírem o intestino do animalzinho. Os sinais são vomito, falta de apetite, moleza, apatia, abdômen dilatado, ausência de defecação ou muito esforço para defecar. Por isso procure sempre a orientação do veterinário e explique sobre a origem de seu bichinho.


Protocolo recomendado:

Sempre leve o filhote ao veterinário para receber as orientações necessárias. Mas, como os animais da zoonoses são casos especiais, para dar uma "luz" sobre o vermífugo, orientamos que os filhotes com verminose severa, seja desverminado com vermífugo para filhotes por 3 a 5 dias, de acordo com o peso do filhote e com a orientação veterinária. E caso tenha se instalado microrganismos ou outros hospedeiros no intestino, pode tomar o vermífugo por 5 dias combinado com o probiótico. E se mesmo assim, após o vermífugo e probiótico, a gastroenterite persista, o veterinário pode orientar o uso de um antibiótico combinado com probiótico para acabar com os microorganismos ou bactérias que se instalaram, ajudando na recuperação do intestino.


Uso do Probiótico (importante)

No caso dos filhotes adotados na zoonoses, logo que damos o vermífugo e os vermes saem, a parede do intestino fica machucada, e pode dar diarreia com sangue e com cheiro fétido.


Então para ajudar a cicatrizar o intestino, damos também, por 5 dias, o probiótico para repor a flora intestinal, ajudando a cicatrizar os machucados que os vermes causaram no intestino.


Por isso sempre orientamos dar o probiótico no mesmo dia que o vermífugo.


O probiótico é importante também nos casos de mudança de ração, ou quando estão tomando algum antibiótico, para ajudar a repor a flora do intestino e evitar uma gastroenterite.



Essa rodinha do probiótico ajuda ajustar a dose. Peça orientação para o veterinário como usar e sobre a dose certa para o seu filhote.


Ração

Os filhotes de aproximadamente 40 dias, que estão desmamando, comem pouco o tempo todo, pois não conseguem comer uma quantidade maior por não ter uma grande capacidade gástrica e podem ter hipoglicemia com longos períodos sem comer. Então, no inicio, é necessário deixar a ração e a água disponível o dia e a noite toda.

Os filhotes maiores, com 4 meses aproximadamente, já podem comer 3 ou 4 vezes ao dia, e ai, começamos a ensinar sobre os horários de comer. Os jovens adultos, comem por volta de 2 vezes ao dia.

Se o seu filhote tiver aproximadamente 30 dias, os dentes ainda estarão pequenos e o cachorrinho poderá ter dificuldade para mastigar os grãos. Por isso, nesses casos, orientamos molhar alguns grãos e deixar outros secos para ajudar o filhote mastigar e incentivar o apontamento dos dentes. Mas se o seu filhote tiver poucos dias de vida, existe um leite próprio para filhotes, que pode ser comprado nas grandes lojas. Diferente do cachorro, os filhotes de gatos só desmamam a partir dos 60 dias. Antes disso, eles não conseguem se alimentar de ração da forma adequada e precisam de leite próprio para gatos bebes. O veterinário poderá orientar como oferecer para o gatinho da forma adequada.


Orientamos sempre comprar ração Premium ou Super Premium.

A ração vai definir a saúde do seu bichinho. Se você quer economizar com veterinário e dar uma vida digna para seu animal, então, busque uma ração de qualidade.


Sugerimos algumas rações:

  • Gran Plus - Ração custo beneficio bom e que nutre muito bem o animalzinho.

  • Premier

  • Royal Canin

  • Natural Guaby


Atenção: Fique no olho, algumas rações dão "dor de barriga" nos cães. Observe como o bichinho está antes e depois da ração nova.


Se comparar a alimentação do animal com a nossa forma de nos alimentar, os cães e gatos tem um intestino bem sensível. Eles não podem ficar variando a ração. Caso ele já coma uma ração e você precisar trocar, faça isso gradualmente. Misture a ração antiga com a nova e vai reduzindo a quantidade da antiga gradualmente. E caso precise, use o probiótico para ajudar a repor a flora intestinal.


Seja proativo e pesquise sobre quais os alimentos os animais NÃO podem comer, a lista é grande. Apesar disso, não indicamos, de forma alguma, o consumo de leite pois pode desenvolver a gastroenterite e o filhote tem desidratação, anemia e, consequentemente, pode morrer.


No caso dos gatos, a ração é mais importante ainda. Como os gatos são animais carnívoros, comer ração de baixa qualidade ou comer carboidrato pode desenvolver diabetes ou problemas renais. Os gatos têm dificuldade de beber agua, por isso, precisam de uma ração especial e de estímulos com a agua, além da ração de qualidade, uma estratégia é ração úmida, fontes de agua ou várias vasilhas de agua distribuídas pela casa.



Vacinas e Hemograma

Os filhotes que chegam na zoonoses, quase sempre, vieram de uma situação precária. Então, antes de vacinar, é recomendado fazer um hemograma, fazer uma avaliação minuciosa de saúde, para saber o estado de saúde do animalzinho. Se o animal estiver estiver doente não produzirá os anticorpos vacinais e pode ficar mais debilitado pela doença pré existente.


Por isso observe, quanto tempo faz que o filhote não tem diarréia, se teve algum vômito, gengiva branca ou rosada... Ou se tem algum sinal que ajude o veterinário avaliar a saúde. Se ele estiver com diarréia, precisa esperar o corpo do filhote se recuperar por completo, mais 15 dias de observação, e aí sim vacinar.


A vacinação completa é muito importante, previne o adoecimento por vírus, bactérias ou protozoários. Com a pandemia conseguimos ver o poder do vírus na saúde. E com os animais não é diferente.


Para os cães, existem vacinas para as principais doenças infecciosas fatais (parvovirose e cinomose são as mais comuns) e para doenças zoonóticas como a leishmaniose. No caso dos gatos, há vacina para a prevenção da leucemia felina ( Fel-V), mas não há para a imunodeficiência felina (FIV), cuja proteção é impedir o acesso do animal à rua ou evitar o contato com gatos portadores.


Os cães não podem passear antes das 4 doses da vacina múltipla. O contágio por vírus é muito simples, por exemplo, se o cachorro passear antes das vacinas e cheirar um local contaminado com a urina de um cachorro infectado, ele pode adoecer. Depois postaremos um texto sobre cada doença, mas por ser um vírus, a forma de transmissão é bem simples e, por isso, precisa tomar muito cuidado com seu filhote.


A vacina precisa ser aplicada por um veterinário. Se você estiver sem dinheiro, faça pesquisa de preço e converse nas clínicas para ver a possibilidade de preço de custo. Muitas clínicas ajudam as família que estão sem condições financeiras e que querem manter os animais saudáveis.


Por motivos legais e sanitários NÃO recomendamos vacinação em lojas agropecuárias ou compradas nestes estabelecimentos. O risco de uma vacina perder a validade por conta do armazenamento inadequado é bem alto.


A vacinação deve ser sempre feita por um médico veterinário em consultórios, clínicas, hospitais veterinários ou em atendimento domiciliar por um médico veterinário.

Leishmaniose em Cães

Aqui no Distrito Federal temos várias regiões endêmicas com a Leishmaniose. Se você mora no Lago Norte, Sobradinho, Jardim Botânico, região de chácara ou com árvores, fique atento em como prevenir a doença. Essa atenção também vale caso você vá passear com o cachorro em uma dessas regiões. De maneira prática, se tem o mosquito, então tem a leishmaniose. Se não tem o mosquito, não tem como transmitir/propagar a leishmaniose.


É importante entender que quando o animal adoece com a leishmaniose, não tem como reverter, ele terá a doença para o resto da vida. E, apesar de ter tratamento, não tem cura, é uma doença difícil e cara para manter para o resto da vida.


Difícil porque se um idoso, criança ou uma pessoa com doença autoimune pegar, pode chegar a morte. Por isso a Leishmaniose é considerada uma zoonose (transmite para pessoas e animais).


Como prevenir a Leishmaniose?

A forma de transmissão da doença é por um mosquitinho (mosquito-palha) que ao morder um animal (cachorro ou um bichinho silvestre) contaminado e morder um animal sadio, transmite o protozoário da leishmaniose.

Existem 3 pilares na prevenção da leishmaniose: limpeza do ambiente, uso de repelentes no animal e no ambiente, e a vacinação.


Existem coleiras repelentes e repelentes que são passados no dorso do animal (pour on) com boa eficácia, mas apostar apenas nesse método de prevenção não é indicado, pois há variáveis que alteram a absorção e o tempo de ação destes produtos. Por isso, para os cães que residem ou visitam as áreas endêmicas orientamos uso de métodos combinados (vacina + repelentes).


Com os filhotes bebês, a situação fica ainda mais restrita, pois não podem usar as coleira repelente antes dos 5 meses de vida e a vacina só protege após aplicação da última dose. Para os bebês, orientamos deixá-los dentro de casa, não sair com eles no nascer do sol e nem no entardecer (horário do mosquito). E usar, dentro de casa, o difusor de tomada de repelentes para o ambiente, sendo que este cuidado pode ser mantido para proteção de toda família e não só do animal.


Pesquise mais sobre a Leishmaniose e entenda como prevenir a doença. Tem muito conteúdo gratuito na internet que ajuda a prevenir a doença.


Por que os filhotes choram?
Os filhotes choram basicamente, por cinco motivos: Dor, solidão, frio, fome e sede.

Choro durante a noite

Os filhotes (principalmente de gato) sentem muito frio pois não conseguem manter a sua temperatura sozinhos. Por isso, sempre indicamos manter os filhotes em um lugar quentinho até terem idade suficiente para se aquecerem sozinhos.


Se o seu filhote está saudável, não tem nenhum problema de saúde, os choros a noite acontecem, na grade maioria das vezes, por sentirem frio. Para isso, indicamos que coloque na cama do animalzinho, uma bolsa de agua quente enrolada em um pano (para não queimar o filhote) . Se você não tem bolsa térmica, use uma garrafa pet com agua quente.


Se usar bolsa ou garrafa, precisa ficar atento porque quando esfriar, a bolsa começa a roubar calor do animal. Mantenha a cama quentinha, para seu animal ficar quentinho.


O uso da cobertinha também é muito importante para não deixar o calor dissipar com rapidez. Outra dica é colocar ursinhos de pelúcia com seu filhote para ajudar com a solidão.


Então, um local quentinho para dormir, garantir alimento disponível e água filtrada pode aliviar o choro a noite.


O ideal sempre é ter duplas de animais, dar chance do animalzinho viver com uma companhia. Nós saímos, vamos ao mercado, encontramos pessoas, vizinhos... E os animais ficam em casa, dependendo da nossa disposição e humor para socializar. Então, pense nisso, não deixe seu animal ter uma vida solitária. E caso adote um irmão para ele, busque um adestrador ou informação de como introduzir um novo bichinho em casa, para uma adaptação harmoniosa.


Choro quando estão sozinhos e a educação do filhote

Os filhotes são quase iguais os bebes humanos, se acostumamos ficar ali o tempo todo, quando saímos se sentem sozinhos e choram. Muitas vezes criamos um sentimento de proteção tão grande pelo filhote que confundimos com um bebezinho mesmo.


Maaaaaas, filhotes de cães e gatos, são filhotes. É importante entender a natureza deles para não os deixarmos confusos. E olhando para o comportamento das mães, conseguimos entender um pouco sobre o comportamento que o animal precisa receber para ficar bem emocionalmente e não ter crise de ansiedade ou depressão.


A mãe normalmente não fica 24h grudada no filhote. Ela deixa os filhotes em um ninho, buraco, ou espaço reduzido, e com isso, ela consegue controlar mais a limpeza do local e segurança dos filhotes. Ela sai constantemente para procurar comida ou fazer suas necessidades, e nesse momento os filhotes aprendem a ficar sozinhos em silêncio para não chamar atenção de predadores.


Vendo isso, percebemos o quanto mimamos os filhotes adotados, ne? Eles ficam tão confusos com nosso comportamento, que criam problemas emocionais. Por isso, vamos passar dicas para ajudar prevenir, mudar o comportamento e deixar o filhote mais seguro.


Espaço reduzido

Primeiro passo é manter o filhote bebê em um espaço restrito, cabendo a vasilha de agua, ração e cama (caixinha de papelão) e um espaço para fazer xixi e cocô. O chão pode estar forrado com jornal (ou tapete higiênico), assim o filhote vai aprender fazer as necessidades sempre no jornal ou tapete.


Rotina

Durante o dia crie uma rotina com o filhote. Por exemplo: de manhã cedo faça a limpeza do local, dê ração, agua (normalmente fazem coco e xixi logo depois de comer). E brinque com ele, pode ser fora do espaço reduzido. E na próxima soneca pode voltar para o espaço reduzido.


Os filhotes domem muito, principalmente após as refeições. No meio da manhã brinque com ele novamente e o deixe dormir. E vai fazendo isso durante o dia, repetindo: limpeza, brincar, comer e dormir.


Na hora de dormir

A noite faça a rotina do soninho: brinque bastante para gastar energia. Se ele já estiver da idade de passear, faça uma longa caminhada. Depois dê a ração, prepare a cama (garrafa quente se for bebê) e hora de dormir.

Choro quando está sozinho

Se o filhote está saudável e começar a chorar só porque está sozinho, a melhor forma de resolver é ignorar. Enriqueça o ambiente dele com brinquedos, mastigadores, deixe a bolsa de agua quente e tenha paciência. Na natureza, aprender a ficar sozinho é primordial para a sobrevivência do filhote, faz parte do instinto dele. Então, você ficar indo lá falar com ele ou dar bronca pelo choro, não vai resolver e ainda pode piorar. Eles assimilam que alguém aparece sempre que fazem barulho, então, ele vai fazer mais barulho para você ir vê-lo.


As mães não ficam fora do ninho por muito tempo. Elas aparecem e saem por pequenos períodos. E quando os filhotes crescem, ela aumenta o tempo dos passeios dela.


Se o seu filhote chora muito quando está sozinho, faça pequenos "sumiços" e vai aumentando o tempo gradativamente, até ele sentir confiança que você vai voltar no mesmo horário de sempre da rotina.

Como evitar o comportamento ruim dos cães

Os cães têm o instinto de viver em matilha e quando os adotamos, nos tornamos a sua matilha. Ele vai aprender a nossa linguagem e vai fazer de tudo para nos mostrar sinais do que ele precisa.


Como já expliquei ali em cima, muitas vezes, vemos os cães como mini seres humanos, tratando-os como gostaríamos de ser tratados, e isso os deixa confusos e inseguros.


Quase todos os cães agressivos desenvolveram esse comportamento por se sentirem inseguros. Então, vale a pena entender como prevenir a agressividade.


Na matilha, os cães seguem uma ordem hierárquica, tem um líder (o alpha) que demanda atividades e impõe regras. O cachorro (filhotes ou adultos) se sente inseguro quando deixamos ele fazer o que ele quer, ou quando pegamos no colo por qualquer motivo. Então é muito importante, quando você adota um cão, criar uma rotina de treino de adestramento básico. Além dele se sentir seguro, ele vai sentir mais conexão com você, criando um canal de comunicação entre vocês dois.


Pode começar com coisas simples como ensinar a sentar, deitar, dar a patinha, fica, não, pode sair.... isso faz o cachorro entender a nossa linguagem e ter uma referência de liderança. Ele se sente útil e entende que precisa esperar o líder dar a ordem para ele "fazer o que precisa fazer".


Durante o passeio na rua, é fácil achar os cães que se sentem inseguros. Eles latem para todos na rua, atacam qualquer pessoa que passa, tem o instinto de posse muito desenvolvido, protegendo o que é dele para ninguém pegar. Eles acham que precisam se proteger do "inimigo invasor" custe o que custar, que sua vida vai depender disso.


Apesar de parecer engraçado, é muito perigoso. Na matilha, o filhote adolescente (ou jovem adulto) começa a se preparar para um dia se tornar o líder. Se ele não sente que tem liderança na sua família (matilha dele), ele se preparara para se tornar o líder. E por isso, ele come primeiro, ele escolhe o lugar para dormir, marca território e, também, escolhe quem são os novos integrantes da matilha.


Imagina o seu cachorro com 7 meses rosnando pra você porque você está mexendo na ração dele, ou porque ele decidiu dormir na sua cama, ou, ainda pior, imagina ele atacando uma visita que chega na sua casa? Esses comportamentos que você já deve ter visto na casa de alguém, é porque o cachorro (na cabeça dele) se sente inseguro e resolveu que para sobreviver nesse mundo, ele teve que tomar a frente da matilha e ser o líder da casa.


Então adestre o seu cachorro. Faça ele se sentir seguro tendo o lugar certo na sua família (matilha). E se você não souber como adestrar um cão, procure um adestrador, um profissional especialista em comportamento animal para ele te ensinar como fazer.


Mas você já pode começar agora a ensinar o seu cãozinho (ou gatinho). Para aprender o adestramento básico, assista vídeos e leia sobre o assunto. Aplique as atividade todos os dias, por 15 minutos por dia.


O adestramento não tem idade para começar, filhote ou adulto... O que importa é o cachorro sentir segurança de estar em uma família equilibrada, com regras claras e hierarquia (igual na matilha).

Não deixe a situação ficar feia para começar ensinar seu bichinho, comece hoje.

Latidos quando estão sozinhos

Os latidos quando estão sozinhos é mais um sinal de que o animal não se sente seguro e por isso precisa proteger a casa do inimigo. Siga as dicas de adestramento para romper com esse comportamento ruim.

Mas tem quatro dicas boas para ajudar nessa mudança:


Deixe o rádio ou a TV ligada.

O barulho da TV ou do rádio, além de abafar os barulhos externos que podem chamar atenção do seu cachorro, também, faz ele sentir que tem algum em casa, que ele não está sozinho.


Não deixe o seu cachorro ter acesso à janela ou sacada quando está sozinho

Os cães tem o instinto de proteger a casa, a família, a comida, tudo. Então quando eles têm acesso a janela quando estão sozinhos, ligam o botão de "defender a casa". Apesar de parecer bonitinho, causa muito estresse nos cães, aumenta a sensação de insegurança e faz com que eles tenham uma saúde emocional abalada, tendo períodos de euforia e depressão. Por isso, se vc mora em apartamento, não deixe o sofá perto da janela. E se mora em casa, não deixe o cachorro ficar vigiando a rua. Os seus vizinhos agradecem e o emocional do seu cachorro ficará mais harmônico.


Não faça "festa" quando chegar em casa

A coisa mais bonitinha é a gente chegar em casa e ver o cachorro se balançando todo quando ele nos vê. Mas essa demonstração de alegria é o maior motivo para choros e latidos quando ficam sozinhos. Sem contar que, novamente, causa períodos de euforia e depressão. Tem cães que ficam tão ansiosos esperando a chegada da "família", que comem, não só os móveis, mas também as patas e o rabo dele mesmo. Os cães fazem de tudo para nós agradar, para se sentirem aceitos, por isso eles fazem tanta festa quando chegamos.


Saídas planejadas

A chegada e saída de casa precisa ser uma coisa normal e não um evento. A orientação é chegar e sair de casa como se fosse uma coisa normal (até porque é uma coisa normal).


Se o seu cão está com o emocional debilitado e chora muito quando a família sai, precisa seguir uma atividade para quebrar essa crise e trazer segurança para o cachorro:


- Em um mesmo dia, pelo menos umas 5 vezes em momentos diferentes, saia de casa por 1 minuto e volte. Não faça festa e não avise que vai sair. Só saia. (se for apartamento, vá até o andar de baixo porque o cachorro sabe quando a gente está no andar do apartamento). Repita isso por uma semana, ou ate ele entender que você vai voltar (quando ele parar de dar atenção para suas saídas).


- Na outra semana, aumente o tempo, fique 5 minutos e volte até ele entender que você vai voltar. Depois vai aumentando o tempo gradativamente. Saia de casa e volte sem avisar ou fazer festa.


Brincando de morder excessivamente

O cachorro e o gato aprendem fazer coisas que chamam atenção, porque ele quer nossa atenção, quer se sentir aceito e amado. Eles se sentem sozinhos e ficam eufóricos para brincar.


Mas nunca vi a mãe de um filhote levar uma mordida dele sem reclamar. Elas educam os filhotes e quando levam uma mordida forte chamam atenção deles. Isso é muito importante para o filhote aprender ter limite. Então, da mesmo forma, nós temos que ensinar o limite para os filhotes. Eles precisam saber o que podem ou não fazer. Existem várias formas de ensinar o "não" para um cachorro. Procure vídeos que ensinam esse adestramento básico e façam os exercícios.


Na troca dos dentes, os cães mordem tudo para coçar a gengiva que dói. Para isso, use os mordedores ou brinquedos especiais para coçar os dentes. Um dos brinquedos mais baratos e eficientes é um pedaço de corda macia. Você pode comprar o metro em uma loja de material de construção, dar uns nós e brincar com o filhote.


Banho e o Mau Cheiro

Mais uma vez tentamos fazer os cães e gatos se tornarem mini humanos e queremos dar banho o tempo todo para tirar o fedor (rsss).


Mas o banho em excesso não ajuda tirar o cheiro ruim. Os bichinhos têm uma proteção no pelo/pele e o banho em excesso tira essa proteção causando dermatites muito fedidas.

Se o seu bichinho estiver com dermatite, procure um veterinário.


Mas se o seu bichinho estiver saudável entenda que:

- Dar banho a cada 20 dias nos cães. E a cada 3 meses nos gatos (ou quando sentir necessidade). Dar preferencia pelo banho pela manha e em um dia quente. E pode secá-los muito bem, se não "mofam". (rs)


- Use o shampoo adequado para o tipo de pele/pelo. Com o shampoo errado o animalzinho pode ter alergia ou desenvolver dermatite e ter mau cheiro.


- A ração influencia muito no cheiro do animal. Se a ração for de baixa qualidade ou o animalzinho tiver alergia à ração que está comendo, pode dar dermatites e ter um cheiro forte.


- A cama precisa ser lavada toda semana e completamente seca antes do animal deitar. Se a cama estiver úmida ou suja, pode juntar ácaros ou mofo que faz o cachorro feder muito. Então sempre tenha 2 camas. Uma limpa e uma secando. Quem mora em apartamento e não tem onde colocar para secar, pode usar uma cama de plástico (vende em qualquer loja) que é fácil higienizar com álcool e usar um edredom como colchão, podendo lavar na maquina com facilidade.


Fazer xixi no jornal ou Caixa de areia

Para ensinar o filhote ou adulto fazer as necessidades no local certo precisa de paciência. Mas não precisa de estresse. Uma informação útil é que os cães tem um senso de limpeza e não gostam de fazer as necessidades perto da cama ou comida. Infelizmente esse senso de limpeza se perde quando são cães de canil, que vivem em baias, que não tem espaço para dormir, fazer xixi e comer. Mas, mesmo assim, eles aprendem!


Os cães entendem muito a nossa linguagem corporal e observam o que a gente faz.


Se o cachorro ou gato fez xixi ou coco no lugar errado, você precisa avaliar o que está acontecendo. Ele está com diarreia? para os cães, está passeando com frequência? Ou a caixa de areia do gato está muito suja? Ele está adoecido? ou está chamando atenção?


Normalmente logo após comer e beber agua, os animais fazem coco e xixi.


CÃES

Se você tem um cachorro não pode descer para passear (ou você não tem tempo para passear várias vezes) e que nunca aprendeu fazer xixi no jornal ou tapete, o primeiro passo é escolher o lugar certo. Escolha um local tranquilo e que não fica passando muitas pessoas. Coloquei o jornal ou tapetinho e suje-o com xixi e coco do cachorro (pegue com um algodão e suje). Isso vai fazer o cachorro entender que onde tem o cheiro de xixi, pode fazer xixi.


Claro, quando o filhote é bebe, ele não vai entender isso, pois a mãe tem o habito de recolher a sujeira para evitar que um predador ache os filhotes. E ai você vai seguir a dica do local reduzido que falamos lá em cima. Com o tempo, ele vai entender que só pode fazer as necessidades lá.


Além disso, filhotes não tem a bexiga mto forte para segurar xixi por muito tempo. Ele vai precisar beber muita água e fazer muito xixiz durante o dia para se manter hidratado. Por isso, se o seu filhote estiver com vc em um cômodo que fica longe do banheiro dele, instale um tapete higiênico ou jornal (com cheiro dele) para que ele possa fazer xixi no tempo certo.

(Nunca deixe sem água e ração, até os 4 meses o filhote precisa comer e beber água o tempo todo.


Se o cachorro fizer as necessidades no lugar errado, não se preocupe. Mas vá lá e limpe o mais rápido que puder. Porque onde tem cheiro é porque pode fazer xixi, então, precisa deixar a casa limpinha. Só de ver você limpando, o cachorro entende que ali não é o lugar certo. A vezes vale resmungar, falar algo como "ah não de novo aqui". os cães sabem quando estamos felizes ou bravos.


Quando o cachorro entende que é pra fazer o xixi no lugar certo, eu faço festa, dou petisco?

Nãaaaao. Na natureza você já viu a matilha ficar fazendo festa quando eles acertam alguma coisa? Não, ne? Então, se ele fizer xixi no passeio, ou no jornalzinho, não faça festa e nem recolha na hora. Deixe ele entender que ninguém liga se ele fizer ali naquele lugar. (ate ele criar o habito e entender que não tem problema)

GATOS

Os gatos são seres evoluídos e só fazem fora da caixinha quando estão com algum problema de saúde ou quando você está negligenciando uma necessidade dele. Se você não souber qual necessidade é, então, procure um veterinário.


Saber onde colocar a caixa de areia é essencial. Os gatos gostam de silêncio o privacidade.

Escolha um local calmo, silencioso e limpo. Por exemplo, se você colocar a caixa de areia perto da maquina de lavar, ele vai preferir fazer na sua cama do que do lado de uma maquina barulhenta.


Para ensinar um gato usar a caixinha de areia é só pegar o filhote, colocar na caixinha e movimentar (gentilmente) as patinhas da frente dele, com o movimento de cavar. O adulto (manso) é a mesma coisa. Eles entendem que a areia é fácil de enterrar e eles são tão asseados, que não querem ficar vendo aquela sujeira perto deles. Eles preferem enterrar!


Para os gatos assustados ou ariscos, coloque a caixa de areia no local que eles está e deixe lá. Ele vai explorar o ambiente e vai achar a caixa de areia. Por instinto ele vai usar a aria para cavar. Caso ele faça fora, é igual os cães. Não brigue, só limpe e coloque um pouco do coco lá na areia. Pelo cheiro ele vai entender que a caixa de areia é o banheiro.


Importante: gato não gosta de areia suja. É importante limpar a areia duas vezes por dia (veja vídeos na internet como limpar a areia). Caso a areia fique suja, além de aumentar a chance do gato adoecer e a sua casa ficar fedendo, o gato não vai mais usar a caixinha e vai começar esconder o coco e o xixi nas coisas (sofá, cama, tapete).


Ensinando o nome

Tanto para cães e gatos o nome é ensinado com um reforço positivo. Então não use o nome para dar bronca. Ganhamos a confiança deles com "comida".


Para ensinar o nome é tão simples, mas poucos sabem.

Você pega um petisco que o seu bichinho gosta, segura um pedacinho pequeno na mão, fala o nome e da o petisco.


Exemplo:

você fala "Sofia" e da o petisco. Com o tempo, quando você falar "Sofia" ela vai olhar e você da o petisco. Quando for dar ração, faz a mesma coisa. Chama o nome e dá a ração.

Com o tempo o animalzinho vai assimilar você e o nome com um momento bom (barriga quentinha).


Obrigada por ler até aqui.

Caso tenha alguma duvida entre em contato pelo Instagram ou com a voluntária que te ajudou com a adoção.


SEMPRE LEVE SEU ANIMAL AO VETERINÁRIO.


Desejo toda felicidade para você e seu bichinho. A sua adoção deu oportunidade para o bichinho ter uma vida melhor, longe do sofrimento das ruas e longe das grades das gaiolas.


Abraços,

Gabriela

Voluntária Projeto Amigos da Zoonoses.


Contribuição: Eliana de Farias, Pediatria e Neonatologia Veterinária.