Castração

O Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) em parceria com a GVAZ, oferece vagas para castrar os animais adotados na Zoonoses DF.

A castração oferecida pelo IBRAM é realizada em uma clínica parceira escolhida pelo IBRAM. 

Os animais sempre seguem seu instinto e não fazem escolhas como nós (seres humanos), por isso, é dever do proprietário intervir e prevenir nascimentos indesejados, ou doenças sexualmente transmissíveis e agindo da maneira mais correta com seu animalzinho.

A castração é uma cirurgia indolor e segura, realizada por profissionais com experiência e com competência.  Os animais  castrados não perdem a sua natureza de proteger, não mudam seu comportamento. O que acontece é que ele não desenvolve os instintos de reprodução, como por exemplo: marcar território ou brigar por espaço.  

A castração não engorda e não deixa o animal lento. O que acontece é que quando o animal é castrado, ele fica com o metabolismo diferente. Deixar um cachorro (castrado ou não) comer uma comida calórica e dormir o dia inteiro engorda.

Então é importante dar ração correta (para animais castrados) e manter uma rotina de atividade com seu animal.  Não é a castração que engorda, mas sim o que ele come e o que ele faz.

Varias pesquisas mostram que quando mais cedo castrar o animal, mais saudável ele será e não desenvolverá comportamentos ruins. Não precisa esperar o primeiro cio e nem ter a primeira ninhada. Sabemos que não é porque você cuida bem, que o outro cuidará bem também. Tem filhotes demais nos abrigos e não precisamos ter mais filhotes nas ruas. Existe uma grande possibilidade dos filhotes crescerem e darem mais filhotes, e em algum momento, algum deles ir parar na rua, gerando mais sofrimento, mais filhotes e mais doenças.

ADOTOU E ESTÁ ESPERANDO A CASTRAÇÃO? 

 

Caso tenha adotado um animalzinho na zoonoses, você receberá um e-mail com a data e orientações para castração.

 

Verifique a pasta SPAM do seu e-mail. Caso o seu e-mail esteja ilegível ou incorreto no termo de adoção, você poderá verificar a lista de autorização do IBRAM em nosso site:

 

Porque castrar?

A castração adiciona qualidade de vida para os animais em vários aspectos como:

 

1) Diminuição de neoplasias (tumor), uma vez que existem evidências que demonstram a influência dos hormônios sexuais no desenvolvimento de hiperplasia e neoplasias mamárias em cadelas e gatas, e do trato reprodutivo de cachorros e gatos;

 

2) Restrição do comportamento reprodutivo indesejável, como agressividade, fugas, gravidez psicológica e marcação de território;

 

3) Aumento da expectativa de vida, pois o animal não está propenso à fugas, brigas e atropelamentos em virtude da procura por parceiros sexuais;

 

4) Redução de doenças infectocontagiosas com ênfase nas doenças transmitidas sexualmente entre os animais, como por exemplo, o tumor venéreo transmissível, uma patologia comum em cães errantes não castrados;

 

5) Eliminação de cruzamentos inadequados entre animais consanguíneos que podem gerar filhotes com alterações físicas, fisiológicas ou comportamentais, como exemplo a hidrocefalia congênita, quadro que aumenta as chances de abandono desses animais;

 

6) Supressão do uso das injeções anti-cio em cadelas e gatas, que gera patologias do trato reprodutivo e mamas.

 

O trabalho de castração não apenas evita os problemas do presente, mas também os nascimentos futuros que poderiam ser gerados caso as castrações não fossem executadas.

 

Na imagem abaixo é possível visualizar que uma ninhada de 12 filhotes no primeiro ano chega a números surpreendentes após dez anos de procriação ininterrupta. Na maioria das vezes esses animais serão abandonados, vivendo sob condições precárias e colocando em risco a saúde dos humanos e das espécies silvestres.

demonstração-ninhada-de-12-filhotes.png

Fonte: American Humane Association.

A sanidade e o controle populacional de animais domésticos são temas de extrema importância, considerando que tais fatores interferem diretamente no meio em que vivemos e na saúde pública. O impacto da invasão de espécies domésticas/invasoras é considerado a terceira maior ameaça às espécies nativas, depois da superexploração e da destruição do hábitat. Algumas estimativas afirmam que o Brasil tinha cerca de 30 milhões de cães domésticos em 2012, o terceiro no ranking mundial.

 

De uma maneira geral, o crescimento das cidades e a fragmentação das florestas facilitam a entrada de espécies domésticas em áreas preservadas.  A proximidade com as áreas urbanas é um dos fatores que contribuem para a presença de cães e gatos nas unidades de conservação. Esses animais podem afetar a dinâmica ecológica de diferentes formas, seja através da ação predatória sobre outras espécies ou na transmissão de doenças.

 

Os cães selvagens são transmissores de doenças como raiva, cinomose, leishmaniose, parvovirose, toxoplasmose, entre outras, já que não são vacinados. A mera presença de cães e gatos em áreas protegidas com espécies nativas já intensifica a competição por espaços (nicho) e recursos (alimentos). Uma das estratégias de controle e preservação é a esterilização dos animais domésticos, impedindo o crescimento exponencial das populações e esgotamento da fauna local.

 

Além disso, a superpopulação de cães e gatos domésticos gera problemas para os seres humanos, onde ninhadas indesejadas frequentemente abandonadas acabam em situação não domiciliada ou semi-domiciliada, com acesso as ruas, estando sujeitos a maus tratos, envolvendo-se em acidentes de transito, mordeduras e participando da cadeia de transmissão de zoonoses.
 

Fonte: Instituto Brasília Ambiental

 

O que fazer no DIA da CASTRAÇÃO 

Solicitamos que os tutores não cheguem muito cedo, pois a clínica inicia as suas atividades às 8h, e não passem do horário marcado para a espécie do seu animal.

A clínica é localizada em uma área residencial, por isso, pedimos também a sua colaboração para as seguintes orientações:

 

- Evite de estacionar na frente de residências ou na rua;

- Evite permanecer nos portões dos vizinhos 

- Não deixe de coletar as fezes dos seu(s) animal(s).

 

Não esqueça de levar seus documentos (cópia de sua Carteira de Identidade ou de sua Carteira Nacional de Habilitação).

 

Lembrar: os gatos deverão comparecer a clínica nas caixas de transporte (caso seja mais de um gato, a caixa de transporte é individual então cada gato deverá estar em uma caixa separadamente) e os cachorros deverão estar de coleira e focinheira.

 

Pré e pós operatório

Abaixo estão listados os cuidados pré-operatórios

 

1. Um dia antes da cirurgia, se possível, dê um banho no seu animal;

 

2. É importante que o seu animal esteja com as vacinas em dia;

 

3. Certificar-se que o paciente não tenha ectoparasita (carrapatos e pulgas);

 

4. Fazer jejum de sólido (ração/comida) de 6 horas; e

 

5. Fazer jejum hídrico (água) de 4 horas;

6. Comprar uma roupa cirúrgica e um colar Elisabetano (com coleira para fixar) do tamanho certo para o seu animal. (Na clínica tem para vender)


 

O pós operatório será orientado pelo veterinário que realizará o procedimento cirúrgico.

 

Porém, para adiantar, saiba que após a cirurgia, será necessário comprar medicamentos, como antibióticos e antiinflamatórios. E após a cirurgia, o animal precisará de cuidados que o veterinário irá orientar, como a higienização do local da cirurgia por pelo menos 10 dias. Durante este período, o animal NÃO poderá fazer estrepolias (pular ou correr), deverá mantê-lo mais calmo, deixar pegar pouco ou quase nenhum sol e mantê-lo em um local limpo (de preferencia, dentro de casa).

 

Após a castração e durante a vida do animal, é sugerido oferecer ração para animais castrados. Muitas pessoas perguntam se a castração engorda, mas essa informação é um mito, qualquer animal (castrado ou não) comendo comida calórica e sem rotina de exercícios, engordará. O consumo da ração comum pode levar o animal a ter sobrepeso, e consequentemente, problemas nas articulações, porque a musculatura não está preparada para o peso extra. Então, oferecer uma ração light ou ração para animal castrado, ter rotina de atividades, ajudará manter o peso e a saúde do seu animalzinho.

 

PANDEMIA E A CASTRAÇÃO

Devido a pandemia ocasionada pelo novo Coronavírus precisamos adotar algumas medidas para garantir a segurança de todos. Sendo assim pedimos sua colaboração quanto as seguintes regras:

 

- É obrigatório o uso de máscara nas dependências da clínica, de forma que não será permitido a entrada de pessoas sem máscara.

 

- Compareçam EXCLUSIVAMENTE no horário marcado, evite chegar com antecedência ou atraso. Essa medida visa justamente evitar aglomerações para sua própria segurança. Chegar com muita antecedência NÃO fará seu animal ser atendido mais cedo, pois nenhum animal será atendido em horário diferente daquele agendado. No caso de atrasos, o animal será considerado como faltante.

 

- Será permitido apenas um acompanhante por animal.

 

- A quantidade de pessoas presentes na recepção também será limitada e controlada por nossos recepcionistas. Caso seja necessário, solicitaremos que aguarde em seu veículo ou na área externa da clínica.

 

Contado e como chegar

Obs.: O agendamento da castração é realizado pela Zoonoses com o IBRAM. Caso você não tenha adotado na zoonoses ou ainda não tenha recebido o e-mail de autorização do IBRAM, saiba que a clinica não tem autorização intermediar no agendamento. 

 

A Clínica Veterinária Coração Peludinho fica localizada na:

- Quadra 42 Conjunto A Casa 02 Setor Central Gama - DF

 

Os canais de contato são:

- Telefone: 3556-5227

- Whatsapp: (61) 99606-5227

- E-mail: centroveterinariodogama@gmail.com

 

Como chegar: https://goo.gl/maps/CkDFfGyL2yq1kqqu9

 

Reagendar ou Cancelar

Após a vaga da castração ser disponibilizada e agendada pelo IBRAM, caso deseje realizar o cancelamento ou reagendamento da cirurgia, faça a solicitação pelo formulário e aguarde a comunicação da clínica sobre o seu pedido.

 

Clique aqui para abrir o formulário

 

Obs: NÃO preencha o formulário caso NÃO tenha recebido o E-MAIL DE AUTORIZAÇÃO DO IBRAM. O preenchimento deste formulário não garante uma vaga na castração. Mas sim, facilita a comunicação entre a clínica e o tutor já autorizado.